quarta-feira, 12 de maio de 2010

habemus papum

True.. ! habemus papum.
E não é que por entre as cinzas dos cachecóis do Benfica, o senhor bem que chegou à nossa terrinha? mão divina cheira-me!
Eu até estou a começar a simpatizar com o Papum. Ouvi-o na TSF a falar tão lindo em português que confesso que gostei, tem um sotaque queridinho e sabe ler muito bem, até diz "us pasturinhos di Fátima".. oh eu acho amoroso... Ratzinger quase que me conquistas, falta um bocadinho assim.
Agora a sério, eu sou coração mole, e realmente já começo a gostar mais deste Papum.
Claro que o Papum João Paulo II era o avôzinho que todos sabemos, e o seu carisma inegualável, mas vou tentar dar uma oportunidade ao papum bentum.

ps: adorei dizem Papum 6 vezes. E com esta 7.

terça-feira, 16 de março de 2010

novo blog


o meu new blog




Deve-se ao facto de eu já não ser emigra no Lux, boa?


bjssss


segunda-feira, 12 de outubro de 2009

pequeno approach

Olá!
Já que uma das obrigações de um estagiário inov contacto era a de fazer um texto sobre a experiência no país de destino, publico aqui o meu, pode sempre dar jeito a um futuro turista no Lux.

Bisous!


Cidade do Luxemburgo - Fairy Tale City

Ana Marta d'Orey C13

Grupo Auchan
Cidade do Luxemburgo Luxemburgo

Conto de fadas pode ser a última coisa em que pensamos quando pesquisamos sobre o Grão-Ducado do Luxemburgo. No entanto, basta um dia de visita a esta charmosa cidade para perceber que estamos num verdadeiro fairy tale histórico. Isto, se considerarmos que um conto de fadas tem obrigatoriamente que ter castelos e muralhas onde nós, meninas, imaginamos as princesas com os seus longos vestidos e os príncipes nos cavalos brancos. Idílico para uns, irrelevante para outros.
Luxemburgo é conhecido pelos seus castelos distribuídos pela sua pequena, mas bem situada, extensão de 2600 km². Bem no centro da Europa, ao lado da França, Alemanha e Bélgica, o Luxemburgo é rico nos seus contrastes. É um país repleto de natureza e elegância.
Encontramos aqui os seus belos vales e bosques, bem guarnecidos de imenso verde, a arte presente em muralhas antigas e edifícios modernos, lojas das melhores marcas e restaurantes com estrelas Michelin. As ruas impecavelmente limpas e os autocarros pontualmente presentes mostram um pouco a vincada e imponente seriedade do povo luxemburguês, que tem como lema: Mir wëlle bleiwe wat mir sin – Queremos continuar o que somos. Talvez por terem vizinhos tão perto e tão maiores, este pequeno povo não se diminui face às pressões. Mantém a língua luxemburguesa como sendo um precioso tesouro e não cede ao francês como língua oficial.

A capital do Luxemburgo, e cidade sobre a qual incide este pequeno roteiro, é a cidade de mesmo nome: Luxembourg Ville.
Esta cidade entrou na selecta lista da Unesco, sendo considerada Património Mundial, em 1994. Desde então, sucedem-se programas culturais, muito apreciados por locais e estrangeiros.

Clima

É bom estar-se preparado para um inverno frio e um verão quente.
O inverno vem munido de alguma neve e, portanto, caso a visita seja feita de carro, atenção à segurança nas estradas.

Dia

Para aproveitar o dia, e sendo que possível percorrer todo o Grão-Ducado em apenas algumas horas, há que visitar as cidades mais características: Vianden, Petite Suísse, Echternach, Beaufort, Bridel, entre outras. Este pequeno país encaixado entre 3 grandes, permite, sem quase nos apercebermos, passar a fronteira e desfrutar também da beleza dos seus vizinhos.

Para um dia bem passado na cidade do Luxemburgo, e para os mais consumistas, pode ser uma boa ideia passear pelo seu centro, repleto de lojas de marca e com restaurantes e esplanadas muito convidativos. A zona da gare, ainda que menos nobre, tem também muito que oferecer e não dispensa uma visita.

Para um fim de tarde apetitoso, um passeio pelo Grund, na zona baixa da cidade, ou ao longo do vale do rio Petrusse.

Noite

Pygmalion: é um bar irlandês situado em Clausen. Bastante acolhedor e com uma pequena esplanada, convida a um fim de tarde bem passado.

Chiguerri: Neste bar atípico, a musica é dada pelos barmen e o local de dança são as mesas. Um bom início de noite pode sempre por lá começar.

Tube: é um bar para jovens de todas as nacionalidades, onde é muito raro encontrar um luxemburguês. A música é bastante comercial e as bebidas são mais baratas que nos outros bares.

Apoteca – Restaurante/bar/lounge com uma vasta selecção de vinhos.

White – Discoteca

V.I.P - Discoteca

Cultura

Philarmonie – Sala de concertos por onde já passou a nossa tão internacional fadista Mariza. São realizadas festas com vários Dj’s para atrair a camada mais jovem a este espaço moderno de música do mundo.
www.philarmonie.lu

Museu de Arte Moderna – MUDAM – Museu de arte contemporânea, tem a forma de uma enorme seta, que contrasta com as paisagens históricas do centro da cidade. Todas as quartas-feiras, de forma a dinamizar o museu, este está aberto gratuitamente, oferecendo um aperitivo a todos os que venham visitá-lo. Torna-se então num ponto de encontro de muitos jovens trabalhadores, que saem do trabalho directos para o Mudam.
www.mudam.lu

Restaurantes

Refeições rápidas:

Table du pain – preço mínimo 10 euros
Classe Croute – preço mínimo 8 euros

Almoços e jantares até 30 euros

Baccus - Italiano - relação preço qualidade boa – custo de uma refeição com vinho: 25 a 30 euros

ChiChis’s – Mexicano - relação preço qualidade boa – custo de uma refeição com margaritas: 20 a 25 euros – com terraço

El compañero – Tapas - relação preço qualidade média – custo de uma refeição com vinho: a partir de 25 euros – com terraço

Lisboa 2 – cozinha portuguesa – relação preço qualidade boa – custo de uma refeição com vinho: 30 euros

Almoços e jantares a partir de 40 euros

Restaurant Brasserie Mansfeld – cozinha francesa, terraço.

Jordão – mistura de culturas e propriedade de um chef português.

Onde ficar

Existe uma variedade enorme de hotéis e os preços vão desde 80 euros por noite, se reservado com antecedência.

As pousadas da juventude são uma opção mais barata e acessível, para os jovens viajantes.

Curiosidades

· O Luxemburgo foi considerado em 2003 o país mais seguro do mundo.
· Os luxemburgueses são educados mas formais.
· Existem os chamados night bus, sextas, sábados e vésperas de feriados, até às 3h30 da manhã.
· Actualmente, e segundo as últimas estatísticas efectuadas, o número de portugueses no Luxemburgo é de cerca de 80.000, o que se traduz em 16% da população total e 50% da população estrangeira.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Back

Queridos amigos,

Deixei de relatar os meus momentos luxemburgueses pois já me vim embora. Sim eu sei que deveria ter publicado aqui a minha nova situação de ex-emigra mas os eventos sucederam-se de forma muito rápida, e injustamente o blog ficou para 2º plano.

Venho relatar a vida desde então, mal possa, ou seja, quando estiver inspirada.
Com fotos claro, porque eu sei que as imagens cativam, por vezes, melhor que as palavras.

Bisous bisous.

Pinky.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

A felicidade não é tanto por ir embora, é mais por finalmente voltar... *

Festa 80's

Festa 80's e as fotos ponho amanhã, é que este video demorou séculos e agora estou com sono para upload les photos. Bisous.

video

quarta-feira, 17 de junho de 2009

A pedido de várias famílias.


Il y a longtemps… E peço, por isso, desculpas a todos que gostam das minhas histórias e relatos, neste cantinho que é mais vosso que meu e que deixei solitário demasiado tempo. Não há razões. Há preguiça e isso não sendo uma boa razão não vamos falar sobre ela.
O que me deixa realmente feliz é que este regresso foi um "disco pedido". É bom sentir que os meus pequenos, mas vividos, textos fazem falta no dia-a-dia de quem os lê. E ainda bem, porque se é verdade que quem os escreve sou eu, só o faço para vocês.

Desde a última vez, já muito se passou. E o mais flagrante foi a minha mudança de departamento. Foi-se o ménage, cuisine, textile de la maison, enfim, panelas, tachos, talheres, pratos, toalhas e lençóis. Agora passeio-me pelos arejados corredores do “textile femme – dessus et dessous”, que é em vulgo português “roupa de mulher e também a bela da cueca e soutien”… uhhhh… Aprendi que a clientela alvo deste grande hiper são as alemãs (fortes e altas) e as portuguesas (baixas e gorduchas). E citando a minha chefe: “notre clientèle est plutôt grosse”. Pronto ok, no Auchan não vestimos propriamente a Gisele Bundchen mas adaptamos a sua leveza à nata do mulherio luxemburguês, alemão, e às nossas queridas Alzirinhas.
Estou a gostar deste novo rayon mas o trabalho é em triplo, e agora vêm os saldos, já semana que vem, e isso traduz-se em trabalho x 1000. E aqui não são muito dados a um bom sistema informático que nos dá todo o stock, não, efectivamente aqui vai-se à mão “flasher” o rayon inteiro, peça a peça.. As minhas costas pedem socorro! Anyway, o ambiente é óptimo e neste momento é o que me interessa.

Há dias em que tudo acontece repetidamente, o que me enerva por um lado, e me diverte, por outro. Ainda esta semana, lá veio uma cliente perguntar em luxemburguês (ninguém merece!) algo a apontar para a t-shirt que levava em mãos, e apontava para o preço, e falava com o marido, e olhava para mim, e eu tipo jogo de ténis, olhava para um, olhava para outro. E no fim desta azáfama de palavras, para mim desnexas, disse eu: “Je ne parle pas Luxembourgeois. Français?” Olharam para mim, olharam entre eles, e como se eu não tivesse acabado de dizer algo CRUCIAL para o desenvolvimento da conversa, continuaram empolgados e a 100 à hora a disparar o seu problema, em luxemburguês. Lá consegui mostrar-lhes, a meio do meu francês, inglês, ou o que me saía no momento, que para pagar era nas caixas. Agora fica a questão no ar: será que era isso que o casal lux queria mesmo saber? Pareceram-me felizes quando lhes mostrei as caixas, se calhar até percebo esta língua estranha.
Nesse dia esse tipo de situação, em que a língua era o obstáculo número um, repetiu-se umas 5 vezes. Nos outros dias da semana, tudo se passou normalzinho. O francês quase língua materna, e eu já com piadas fáceis na língua de La Fontaine.

Apesar de estarmos no Luxemburgo, a crise chegou. O país ainda se encontra, parece-me, estável, mas não tarda fica de tanga também. Tanga, slip,string, boxer, ah pois, é que eu agora conheço todos os tipos de culotte. E soutiens pensava que conhecia também, mas na verdade há todo um universo que mesmo nós, meninas, não conhecemos. As clientes dirigem-se a mim a perguntar que número devem experimentar. Eu sei lá minha senhora, pensava eu no início. Agora dou aquela olhadela básica para as ditas “margaridas” e simpaticamente expresso a minha opinião técnica. God, I’m sooo Professional!

Mas o que mais gosto neste novo departamento é de mudar a colecção de um lado para o outro e ver como isso realmente faz mexer as vendas. A maior parte dos clientes compra por impulso, portanto cá estamos nós para dar o empurrãozinho. Tipo eu, no outro dia, que a caminho da caixa para pagar os meus 6L de leite silhouette, passei pela arca frigorífica dos congelados e o que vejo? Polvo cortadinho e ultra-congelado, tempo de cozedura: 5 min. Guess what? Comprei!!! Precisava? Bien sûr que non!

Agora é quase meia noite (em Portugal) e foi o meu dead-line para publicar o blog.




Just in time (eu nunca disse que era pela hora luxemburguesa)

Beijos e sim, prometo que o próximo post será super super super em breve.


Obrigada pelo carinho.

Bisous du Lux.

Pinky
 
´